quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Cristianismo Satânico

Por Yuri de Almeida Gonçalves no blog História Crítica

http://bloghistoriacritica.blogspot.com/2009/11/nao-ha-problema-algum-de-afirmar-que.html


Não há problema algum de afirmar que a religião cristã é sem dúvida o próprio Satanás, Diabo, Satã; personagem tão temido pelos fiéis religiosos. Para entendermos o que diz essa afirmação, temos que, pelo menos sabermos o que é Satanás, Diabo, Satã. Não me refiro a pessoa espiritual do mal, personagem mitológico que entrou no cristianismo por intermédio do judaísmo, que por sua vez deve ao zoroastrismo tal crença. A palavra Satanás no grego, "satanas" significa "o Adversário". Satã no grego, "satan", "indeclinável". Já Diabo, também de origem grega, "diabolos", significa "caluniador". Assim é comum encontrarmos no novo testamento alguém se referindo ao imperador como Satanás ou outros. Os cristãos primitivos eram perseguidos por demais pelos imperadores romanos, por isso aqueles os chamavam de Satanás, ou seja, Adversário. A bíblia nunca menciona essas nomenclaturas se referindo a algum ser espiritual. Essa confusão se deu por causa da tradução que não se deu e sim uma transliteração.

Entendemos assim que Satanás ou Diabo é o mesmo que opressor, indeclinável, etc. Através de uma leitura histórica, fica fácil identificarmos o "Adversário" da existência. Esse "Satanás" sempre está relacionado com a política principalmente (não somente), pois através da política o homem é atingido em coletividade. Por isso Aristóteles afirmou que toda ética é política. A partir do momento que a Igreja começou a receber corpo de Instituição, passou também de presa para predador. A Idade Média não esconde nada a respeito disso. A religião foi o maior instrumento de opressão dessa época. Seu desejo pelo poder a cegou diante de barbáries. Em nome de Deus foram mortos, pela chamada "Santa Inquisição", muitos pensadores e pessoas que se opunham as idéias da religião. Um verdadeiro terror sondava os pensadores daquela época. Tudo pelo poder. Muitos mulheres foram queimadas como bruxas, as vezes somente por serem belas.

Mitos eram ensinados para manter a dominação cristã nas mentes humanas. O homem já nascia num mundo cauterizado pelo poder da religião, que cegava, alienava. Sempre que a conhecida igreja Católica Romana se via em perigos, o sangue era derramado ou havia grande oposição por parte dessa. A religião também esteve do lado de todos aqueles que defendem seus ideais. Dessa maneira a Igreja Católica se opôs ao Protestantismo e intrepidamente ao Comunismo, que era uma ameaça ao seu ninho. Esse último, enxergava o diabólico na religião de forma magnífica.

Não somente a Igreja Romana, mas o Protestantismo também foi satânico em muitos de seus atos. O reformador Lutero, em nome do poder, se opôs aos campesinato de sua época. A nobreza encontrou aliança nessa Reforma luterana. Já os ideais defendidos pela antiga burguesia se apoiaram no reformador Calvino e desenvolveram. Hoje, esses ideais oprimem a existência de bons homens - é o frio capitalismo que mata milhões por ano. O Protestantismo apoiava o sistema que permitia a opressão do proletariado pela burguesia. Não é a toa que Marx defendia a eliminação das classes sociais.

Triste saber que essa religião que prega salvação seja instrumento de alienação. Os movimentos pentecostal, neo-pentecostal e carismático são o Diabo desses nossos tempos. Alienam o homem fazendo com que ele só pense em "coisas espirituais" (mitos), enquanto o cosmos é dominado pela injustiça, fome, violência, miséria, indiferença e etc. O dinheiro está por trás desse caos e a religião, que é cega, corrobora com esse sistema. A conhecida "teologia da prosperidade" é um exemplo de capitalismo sujo em nome de Deus. Dá nojo ver tamanha alienação e desgraça. Outro pensamento que faz da religião cristã o Demônio em pessoa, é a sua oposição ao sistema político/econômico comunista. A falta de visão horizontal dos religiosos comprova essa alienação que tanto afirmo. Marx estava correto quando afirmou que a religião é o ópio do povo. Freud estava inspirado quando disse que a religião é a neurose das massas. Esses homens foram verdadeiros profetas que conseguiram enxergar a realidade da existência. Marx me faz lembrar dos profetas do velho testamento que enfrentaram a religião em nome da sua ética.

Tiro meu chapéu para homens como Gustavo Gutiérrez, Rubem Alves, José Miguez Bonino, Leonardo Boff e outros que, além de enxergarem os problemas sociais que afetam o mundo, lutaram dentro dessa religião, como polemistas, por uma mudança de mentalidade religiosa.

Se a teologia deve estar ligada as necessidades existenciais do homem, o capitalismo deve ser perseguido por esta, pois ele oprime. Quando a religião cristã se cala diante do que está havendo no mundo e se preocupa somente com "salvação do espírito", além de alienada, ela se torna o próprio Satanás.

Para se libertar da alienação do cristianismo é preciso apenas uma coisa - pensar. O dia que o povo pensar as igrejas esvaziarão.

Comentário meu:

Muito bom o artigo. Me fez repensar em algo. Como a religião cristã é individualista (e aí está o seu perfeito casamento com o modus operandi capitalista), afinal por mais que eu reze, creia em Deus e expie meus pecados, só posso salvar minha alma, portanto, sou um ser único e individual. Me lembrei também de Nitzche, "o homem em sua arrogância criou Deus sua imagem e semelhança".



Yuri de Almeida Gonçalves é bacharel em teologia, licenciado em História e especialista em História e Construção Social no Brasil radicado em Poços de Caldas.

2 comentários:

Santuario Tatoo Clinic disse...

Antigamente houve um tempo em que lutavamos contra os chamado " OS Demonios interiores"bons tempos aqueles, hoje pra servirmos a Deus ou a humanidade, endependente da cosmovisão que temos nos encontramos com instituições que além de falidas são instrumentos medievais facilmente confundidos com a própria imagem das trevas, ou de Satanas (etimologicamente) é bom saber que alguns raros ainda vêem isso, ótimo artigo

Pr. Vinícius S Lima

João disse...

Como acredito ser um espaço democrático, pelo menos espero que seja, apesar das minhas sinceras dúvidas originadas do engajamento político do autor do texto, venho com estas simples e desprentenciosas palavras esclarecer e iluminar sobre alguns fatos aqui escrito. Entre aspas são os dizeres do autor e logo depois vem a minha argumentação sobre as idéias principais do autor.
. “A bíblia nunca menciona essas nomenclaturas se referindo a algum ser espiritual. Essa confusão se deu por causa da tradução que não se deu e sim uma transliteração.” MENTIRA - pois está repleto na bíblia a menção de Satanás como um ser espiritual adversário de Deus. Dentre diversas menções de Satanás, a mais famosa é o embate entre Jesus Cristo e o próprio satã no deserto, passagem esta conhecida por todos mas desconhecida pelo o autor que é teólogo.
Esse último, enxergava o diabólico na religião de forma magnífica. CONCORDO – Não que o diabo esteja na relegião mas sim que o Cristianismo é opositor maior do nefasto Comunismo, sendo assim, utilizando a lógica do autor, e como a terminologia “Satanás” foi consagrada nas escrituras Cristãs, o Comunismo é verdadeiramente o sistema político de Satanás.
Para se libertar da alienação do cristianismo é preciso apenas uma coisa - pensar. O dia que o povo pensar as igrejas esvaziarão. CONFIRMAÇÃO – Esta frase é a confirmação do objetivo do autor, acabar com o Cristianismo. É um preconceito nem um pouco disfarçado pois chama todos os Cristãos de imbecis. O Marxista autor deve lembrar que o Comunismo sujou a dignidade humana, ao contrário do Cristianismo, que vem ao longo de mais de 2 (dois) mil anos dignificando a humanidade e contribuindo para o crescimento da sociedade ocidental. A inquisição, que graças a Deus não existe mais, “apenas”, matou centenas de pessoas nos seus séculos de existência. Já o Comunismo, originário do ateu e anti-cristão confesso Marx, matou mais de 200 milhões de pessoas em pouco mais de 1 (um) século de existência. O comunismo vem cometendo mais uma barbárie nos tempos atuais, na China, a criança que nasce do sexo feminino é abortada, morta assim que nasce ou deixada em asilos governamentais para morrerem pouco a pouco. Isto é típico de um regime que na sua essência é Ateu como é o Marxismo.
Agradeço o espaço