domingo, 19 de outubro de 2008

O tucanato e a tragédia paulista

Os tucanos governam o estado de São Paulo há pelo menos vinte – considerando sua participação nos primeiros anos do governo Orestes Quércia – dos 26 anos em que a população voltou a escolher de forma direta os governadores do estado. O que fizeram nesse quinto de século:

– Sucatearam e venderam as principais empresas estatais (Comgás, Cesp, Eletropaulo, CPFL, FEPASA, etc.);

– As tarifas de serviços públicos sofrem ano a ano aumento muito superior a inflação registrada no período;

– Jogaram as rodovias estaduais nas mãos dum cartel de pedágios e o resultado catastrófico é não conseguirmos andar 50 km, ou menos ainda, sem sermos tungados por um valor qualquer (que pode chegar a incríveis R$12,00 na Imigrantes) num posto de pedágio;

– Gastaram bilhões de dólares para sanear o Banespa e o venderam por um valor inferior ao gasto nesse processo;

– O sistema de transporte público é o verdadeiro caos na capital e em outras grandes cidades paulistas, além disso, os congestionamentos gigantes tornaram-se freqüentes;

– O estado viu sua participação no PIB nacional cair brutalmente;

– Muitas empresas multinacionais levaram sua planta para outras regiões do Brasil sem que o governo estadual tomasse nenhuma atitude no sentido de reverter o processo ou promover políticas públicas que resolvessem a situação e/ou amenizasse a perda de tantos postos de trabalho;

– A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo é a maior do Brasil;
– Os funcionários públicos têm salários irrisórios se comparado a outros estados com menor força econômica;

– A pujança econômica paulista não se reflete no seu IDH mesmo após 14 anos consecutivos de governo nas mãos do mesmo grupo político;

– Criaram uma política educacional na qual alunos chegam ao ensino médio sem saber ler;

– Os professores do da rede estadual têm um salário menor que o piso de outros 10 estados;

– Uma paralisação iniciada por estudantes, professores e funcionários das três universidades estaduais paulistas – USP, Unesp e Unicamp – durou meses e foi resolvida na base da truculência;

– O PCC surgiu e robusteceu-se dentro do sistema prisional estadual para depois literalmente tomar de “assalto” o estado em março de 2006;


– O número de chacinas ocorridas na região da Grande São Paulo durante um ano é comparável as baixas em guerras modernas;

– Policiais civis e militares entraram em guerra – guerra aqui não é força de expressão e nem semântica – nas vizinhanças do Palácio dos Bandeirantes;

– A polícia paulista conseguiu a proeza inédita de devolver ao seqüestrador uma refém que o próprio seqüestrador havia libertado dois dias antes.

Será que a Regina Duarte – lembram-se dela no segundo turno da campanha presidencial em 2002 – não ficou com medo em nenhuma dessas horas?!

A imagem desses catastróficos anos a passarem para a posteridade serão as de Mário Covas sendo esmurrado por professores, o caos perpetrado pelo PCC, o enorme buraco da Alstom (metrô) e a guerra entre policiais civis e militares.

Essas imagens formam o retrato mal-acabado da intransigência, inépcia, irresponsabilidade e virulência com as quais os tucanos, na maioria das vezes consorciados com os demos, governam o estado mais rico da federação.

2 comentários:

Renan disse...

Definitivamente, Regina Duarte não mora em São Paulo.

BLOG DO GRACILIANO disse...

Este é um balanço parcial do desastre tucano-pefelista em São Paulo. Precisamos mostrar este caos aos demais Estados, que não conhecem o Serra. Ele é blindado pela mídia vendida e golpista. Os brasileiros precisam saber que tucano é incompetente, corrupto e truculento. Enfim, viraram o partido mais atrasado do Brasil depois que se fundiram, na prática, como o velho PFL.