segunda-feira, 7 de junho de 2010

Toninho Malvadeza

Por sugestão do amigo e crítico e cinema Daniel Souza Luz, do blog Humano Obsoleto, posto esse vídeo onde Toninho Malvadeza, o todo poderoso senhor da Bahia entre as décadas de 1960 e 2000 trata de maneira ultrajante um jornalista que teimava em não rezar de sua cartilha.

O vídeo expõe de maneira límpida a forma como os coronéis agem no interior do Brasil. Embora o fato tenha ocorrido no longínquo 1986, infelizmente continua a ser corriqueiro em cidades pequenas e médias do país afora, onde a liberdade de expressão não passa de conversa pra boi dormir, jornais são comprados e jornalistas perseguidos com processos judiciais infundados ou veem a cabeça a prêmio ¬– no sentido figurado ou no pé da letra.

3 comentários:

Luciano Vieira disse...

Hudson excelente material.
Eu acredito em Deus, só não acredito que ele seja brasileiro. Tb acho que é um pouco focado no primeiro mundo. Quando esse sujeito (ACM) morreu eu tive uma conversa com Deus e disse "até que enfim o Senhor olhou para o Brasil". Foi tão importante quanto a constituinte a partida desse homem. O Brasil ainda possui uns cacos... Acho que esse conflito no Oriente tá tomando de novo o tempo de Deus e ele precisa olhar mais por aqui. Quanto ao resultado da eleição naquela época, vc sabe o que deu?

Hudson Luiz Vilas Boas disse...

Luciano

Realmente você tem razão, Deus deve estar ocupado com outras coisas, pois existem uns cacos por aqui que insistem em não nos deixar em paz.

Quanto ao resultado, ACM perdeu as estribeiras e perdeu também a eleição, a primeira depois de muitos anos comandando a política baiana como verdadeiro coronel.

O candidato de ACM ao governo baiano era Josapha Marinho (PFL), mas Waldir Pires, então no PMDB e que anos mais tarde se filiaria ao PT e seria ministro da Defesa de Lula, saiu vitorioso daquela eleição.

Anônimo disse...

li em uma reportagem , que em sua adolescencia, acm fazia parte de uma gang juvenil, cujo chefe se chamava Umbelino, cuja diversão era fazer arruaças e promover agressoes. Ficou velho e nao mudou nada. Deve estar promovendo confusoes nos "mundos inferiores"