domingo, 8 de julho de 2012

Poços de Caldas - "Alea jacta est"


"Alea jacta est". Expressão em latim que significa “a sorte está lançada” define bem o sentimento dos seis candidatos a prefeito de Poços de Caldas nesse 2012.

Na história recente de Poços não houve outra eleição municipal com as principais forças políticas tão divididas. O grupo dos caciques formado em 1996 com o objetivo de evitar a chegada do PT ao poder se vê rachado e o responsável por esse racha é o trunfo que este mesmo grupo teve em 2004 para retomar o poder perdido para o PT quatro anos antes. 


O arco de alianças que elegeu Sebastião Navarro em 2004 e Paulinho Courominas  em 2008 se dividiu em dois grupos: de um lado os partidários de Courominas (PPS) – o antigo trunfo – e que formaram um novo e eclético arco de alianças trazendo antigos adversários como o PMDB  e o PCdoB. Do outro os partidários do deputado federal Geraldo Thadeu (PSD) que contam com o apoio dos outros dois principais caciques da política local, o deputado estadual Carlos Mosconi (PSDB) e o ex-prefeito Sebastião Navarro (DEM).

Aqui vale resaltar que o grupo dos caciques – Geraldo, Navarro e Mosconi –  embora pareça unido e coeso passou por vários sobressaltos, inclusive com o deputado Geraldo Thadeu tentando de várias formas se aproximar do PT – mesmo com este afirmando e reafirmando que teria candidatura própria –  e criando uma indefinição sobre quem de fato o apoiaria até quinta-feira passada, prazo final para a inscrição das candidaturas na Justiça Eleitoral.

O interessante no caso desses dois grupos, o dos caciques e o de Courominas, agora opositores e adversários no pleito de outubro próximo, é que até dezembro passado todos caminhavam juntos e o rompimento público só veio após Courominas exigir o apoio integral dos caciques ao seu projeto de reeleição ou a entrega de todos os cargos que apadrinhados desses mesmos caciques ocupavam na máquina pública municipal. Um rompimento com ares de fisiologismo generalizado por ambas as partes.

Outras quatro candidaturas disputam a preferência do eleitorado e o direito de governar Poços pelos próximos quatro anos. O vereador no sexto mandato Marcus Togni (PSB) ­– remanescente do baixo clero do grupo dos caciques – que já havia há tempos declarado a disposição de trocar o Legislativo pelo Executivo e para essa empreitada chegou a trocar de partido – fora eleito pelo PPS – correndo o risco de perder o mandato por conta da fidelidade partidária, enfim se colocou como prefeitável.

A quarta candidatura é a de Rovilson de Lima (PMN). Antigo vereador que agora tenta retornar ao cenário político local numa candidatura que ao que dizem, terá a incumbência de fazer forte campanha contra Geraldo Thadeu.

A quinta candidatura é a de Waldir Inácio (PSOL) que em 2008 surpreendeu ao obter cerca de 5% dos votos válidos com uma campanha simples e modesta.

A sexta e a última a ser divulgada dentro do prazo estipulado pela Justiça Eleitoral é a de Eloisio Lourenço (PT). Odontólogo por profissão e ex-presidente do Conselho Municipal de Saúde, Eloisio terá a tarefa de marcar sua campanha pelo projeto de renovação na política local e ao mesmo tempo enaltecer os avanços sociais pelos quais o Brasil passou na última década após a ascensão do Partido dos Trabalhadores ao governo federal, demonstrando que Poços lamentavelmente não tem seguido no mesmo caminho.

A campanha de Eloisio deverá também mostrar que é possível fazer uma política diferente da que existe em Poços. Uma política voltada para o cidadão, para as classes mais humildes, para o desenvolvimento realmente sustentável – aquele que leva em conta os vetores ambientais, econômicos e sociais. Essa candidatura representa, acima de tudo, uma renovação necessária para a política local, já cansada do mais do mesmo e de um tipo arcaico e ultrapassado de se fazer política e lidar com a coisa pública. 

3 comentários:

cleiton disse...

E que realmente diante de arranjos e desarranjos o velho modelo oligarca não prevaleça! Alguns se vendendo, outros surpreendendo. Que o PT faça uma campanha digna como alumas pessoas que lá estão, como você, Hudson, e meu amigo Paulo Calheiros. Abraços!

Hudson Luiz Vilas Boas disse...

Cleiton...
Acredito que essa campanha será surpreendente, com alguns mantendo sua identidade e coerência e outros presos ao velho modo poços-caldense de se fazer politica!!!

kajany cesar moreira dos santos disse...

ei prezado amigo Hudson, bom saber que voce está com um blog politico (quero deixar bem claro que não sou filiado a partido politico algum, mas como jornalista e profissional da Educação emito as minhas opiniões em meu blog de ideias e debates kajanycesargmail.blogspot.com.br, sobre os mais diversos temas). Realmente voce tem razão Alea jacta est, aí me lembro da velha frase, quando a guerra civil assolava Roma, e Caio Julius Caesare (Julio Cesar), cmte. em chefe das Legio~es dos Centuriões em combate na Galia de Vincetorix(hoje França), cruzou o Rubicon rumo a flor do Láscio (Roma), e exclamou VIN VIDE VENCI, assim como já escrevera Nicolo Machiaveli, a Arte da Guerra é a politica executada através de meios radicais, e como podemos observar as "coisas" andam muito "confusas" no mundo todo (algo por exemplo que lembra a crise do " Maio de 68 de Paris", ou o YouthPower, assim a arte da politica e das negociações é este "toma lá dá ca", onde as hegemonias são pensadas e articuladas como já escrevia Antonio Gramshi, ou mais recentemente Focault em seu ordenamento pendular. Assim parabenizo-o pelo lançamento do seu blog. Gosto de trocar idéias com pessoas lucidas e inteligentes, que sabem que a Roda da História não para, e por isso não se pode incorrer em erros do passado, por isso tem a História como parceira, pois a somente através da mesma é aprendemos a não repetir as falhas já detectadas e assim continuar o processo de evolução material/espiritual e epistemológico.